sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A lição do Axolote



Assisti a um programa algumas semanas atrás sobre um anfíbio chamado axolote, um bichinho muito estranho e para mim muito bonitinho que me trouxe uma série de reflexões que quero compartilhar com quem porventura correr o risco de entrar nesse blog.
O apresentador no programa contava a história do axolote, esse bichinho incrível com no máximo 35cm de comprimento e com uma maravilhosa capacidade de regeneração, segundo o apresentador esse anfíbio está sendo muito estudado por cientistas que buscam soluções para pessoas que tiveram membros amputados.
Ele contava que quando um axolote perde um de seus membros, com o tempo ele se recupera a ponto de nascer outro membro no lugar, igualmente perfeito.
Uma das coisas que me levou as lagrimas foi saber de uma outra capacidade desse animal, se o lago ou rio onde ele vive começar a secar, esse animal consegue sair da água, perde sua cauda e caminha pela terra pelo tempo que for preciso até que encontre um novo lago(um novo lar).
Trouxe essa história para a clínica e pensei de que forma podemos nos recuperar após um sofrimento muito grande, a perda de um ente querido, de um relacionamento, de uma familia desfeita ou de uma batalha que não foi vencida.
Achei que poderiamos aprender com o axolote, descobrir em nós a capacidade de regeneração e adaptação, e pensei no atendimento de uma paciente e na conversa que tive com ela, a psicoterapia nos ensina a descobrir em nós as capacidades do axolote.
Com o tempo percebemos que podemos levantar após uma queda e não permanecermos prostrado, e que assim como o axolote sentiremos a dor da amputação de sentimentos e pessoas que nos foram tiradas, mas cultivaremos um novo amor um novo sentimento uma nova vida a medida que sairmos do conforto da solidão de nosso quarto em busca de um novo lugar, ou seja, de um novo lar.
A noticia triste é que o axolote está em extinsão, a boa é que os seres humanos não, e que se um dia o axolote desaparecer apesar do nossos gritos, continuaremos com a lembrança e com a lição que ele nos deixou.

Bom dia a todos!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

O rio segue seu curso!


Por que às vezes nos parece tão difícil assumir um erro, começar de novo ou deixar para trás um fato do passado?
Uma idéia que persiste um sentimento que insiste uma ferida que não sara. O tempo passa e a dor permanece, às vezes nem ao menos diminui.
Algumas pessoas parecem possuir uma estranha forma de viver, elas vivem no passado, sobrevivem de lembranças.
Há uma dificuldade em perceber que o rio segue seu curso e não existe retorno das águas. As águas, simplesmente se permitem seguir em frente.
A perda do objeto amado por um final de relacionamento ou pela morte física de um corpo, perdas de trabalhos, da adolescência e também da infância.
É como se essa pessoa nunca conseguisse subir um degrau em uma escada ou pegar o elevador rumo a um andar diferente. Permanece no mesmo espaço.
Vivem rodopiando na dança do “talvez” “amanhã” “eu não consigo”, “está difícil”
Alguns passos sem ritmos, outros em ritmos descompassados, mas sempre em círculos, sempre no mesmo lugar.
Temos muito a aprender com as águas que simplesmente passam, correm por vários caminhos, sem que com isso deixem de cultivar por onde passam as flores, os peixes e as coisas que verdadeiramente valem à pena.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O que é a Psicoterapia?


A Psicoterapia se apresenta, em vários momentos de nossas vidas, como um recurso imprescindível para se libertar de uma situação percebida por nós como de insatisfação ou infelicidade permanente, possibilitando o rompimento de um estado de paralisia, que se mantido indefinidamente, pode levar ao adoecimento físico.

A psicoterapia é um espaço de cuidado, ou seja, cuidado por nós mesmos, onde tiramos um tempo para aprender a responsabilidade que temos em relação a nossa felicidade. Nesse espaço, um profissional com uma escuta apurada estará conosco nos momentos onde parece que estamos sozinhos.

Atualmente, é quase uma unanimidade o reconhecimento que a parte emocional negligenciada e desequilibrada pode ser o principal ou um dos principais fatores no desencadeamento das mais diversas doenças e patologias orgânicas. Deste ponto de vista, essas doenças seriam, na verdade, apenas sintomas de um estágio anterior de desequilíbrios de natureza psicológica.

A psicoterapia oferece suporte para pessoas que estão atravessando dificuldades físicas e/ou emocionais. É um recurso para lidar com as dificuldades do existir, favorecendo autoconhecimento, crescimento e amadurecimento.

Também pode ser entendida como um espaço oportuno para compreender e mudar as relações no trabalho, escola, família e sociedade.