sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A lição do Axolote



Assisti a um programa algumas semanas atrás sobre um anfíbio chamado axolote, um bichinho muito estranho e para mim muito bonitinho que me trouxe uma série de reflexões que quero compartilhar com quem porventura correr o risco de entrar nesse blog.
O apresentador no programa contava a história do axolote, esse bichinho incrível com no máximo 35cm de comprimento e com uma maravilhosa capacidade de regeneração, segundo o apresentador esse anfíbio está sendo muito estudado por cientistas que buscam soluções para pessoas que tiveram membros amputados.
Ele contava que quando um axolote perde um de seus membros, com o tempo ele se recupera a ponto de nascer outro membro no lugar, igualmente perfeito.
Uma das coisas que me levou as lagrimas foi saber de uma outra capacidade desse animal, se o lago ou rio onde ele vive começar a secar, esse animal consegue sair da água, perde sua cauda e caminha pela terra pelo tempo que for preciso até que encontre um novo lago(um novo lar).
Trouxe essa história para a clínica e pensei de que forma podemos nos recuperar após um sofrimento muito grande, a perda de um ente querido, de um relacionamento, de uma familia desfeita ou de uma batalha que não foi vencida.
Achei que poderiamos aprender com o axolote, descobrir em nós a capacidade de regeneração e adaptação, e pensei no atendimento de uma paciente e na conversa que tive com ela, a psicoterapia nos ensina a descobrir em nós as capacidades do axolote.
Com o tempo percebemos que podemos levantar após uma queda e não permanecermos prostrado, e que assim como o axolote sentiremos a dor da amputação de sentimentos e pessoas que nos foram tiradas, mas cultivaremos um novo amor um novo sentimento uma nova vida a medida que sairmos do conforto da solidão de nosso quarto em busca de um novo lugar, ou seja, de um novo lar.
A noticia triste é que o axolote está em extinsão, a boa é que os seres humanos não, e que se um dia o axolote desaparecer apesar do nossos gritos, continuaremos com a lembrança e com a lição que ele nos deixou.

Bom dia a todos!

Um comentário:

  1. Oi caí aqui por acaso ... achei ótimo o post sobre a resiliência do axolote e acho que deveríamos aprender mais com tais criaturas, extinção ... que triste não poderia acontecer com tal criatura sendo que sua carga genética demonstra um enorme desenvolvimento.
    Ótimo artigo, faço terapia há três anos e é assim mesmo ...

    ResponderExcluir